terça-feira

Não fomos

Bianca Alves
você não conhecerá minhas novas rugas
nem meus velhos defeitos novos
renovo
troco os móveis
as cores das paredes
faço das calças jeans, shorts
mudo
mudo o estilo
o olhar
ganho cores
carrego um novo cheiro no corpo
e velhas doces ilusões
me desencanto
me refaço
e acredito
mas nas noites de insônia e de extrema solidão
me pego cheirando o travesseiro e buscando marcas
cabelos e vestígios da tua passagem por mim
você não está mais aqui
fujo
refaço roteiros
e marco viagens para longe na intenção de não te encontrar lá
não posso ter lembranças dos lugares que não fomos
das camas que não nos amamos
das luas que não vimos
dos passos de dança que não inventamos
dos risos que não demos
mas
percebo com estranheza, raiva e descontentamento
que sinto falta até do que não vivemos
não fomos
não seremos
meu novo velho triste amor

2 comentários:

  1. Esse poema é seu? Nossa! Me embriaguei de memórias que nunca vivi! Obrigada pela visita e pelos elogios lá no meu blog! Amei o seu!

    Abs

    Gardênia

    ResponderExcluir
  2. Nossa Bianca amei esse texto.Falou de mim e por mim.Agradeço pela visitinha no meu blog. Ah! já tem textinhos novos no meu blog. abraçosss!

    ResponderExcluir

""Erótica é a alma""

Adélia Prado